Modelo: 69
Disponibilidade: Em estoque
R$56,00

Opções disponíveis

Qtd

Mais detalhes
Calcule o valor do frete para sua região.

Pholia Magra: Árvore de copa alongada, de 8 a 12 metros de altura com tronco de 30 a 40 cm de diâmetro, nativa desde o nordeste até o sul do Brasil, principalmente na floresta semidecídua. Ocorre também no Paraguai, onde é conhecida como Cordia salicifolia. Folhas simples, totalmente desprovidas de pubescência de 8 a 14 cm de comprimento. Flores pequenas perfumadas, de cor branca. Os frutos são bagas globosas, de cor vermelha, semelhante ao café. A erva ficou conhecida a partir do ano de 1940 quando o farmacêutico Eurico Fonseca determinou pela primeira vez os seus princípios ativos. Indicada principalmente como tônico cardíaco, diurético, estimulante e redutor de apetite, acreditando-se que seu uso impede o acúmulo de gordura no corpo, evitando a celulite. Estudos relatam que seu extrato alcoólico reduz a penetração do vírus tipo I do herpes. Excelente no controle da obesidade, edemas e inchaços. Potente ação diurética, elimina o ácido úrico. Também indicado para artrite, gastrite, úlcera e cicatrizante.

Pholia Negra: contém entre seus fitoquímicos as metilxantinas e saponinas responsáveis por sua propriedade de perda de peso. Contém também cafeiol, ácido cafeico e clorogênicos, além de um elevado valor de ORAC, que lhe confere propriedades antioxidantes e antiglicantes. Benefícios: Melhora na resposta sinalizadora da saciedade; Retardo do tempo de esvaziamento gástrico; Alteração no metabolismo de ácidos graxos e glicose, diminuindo a formação de de gordura visceral; A presença de saponinas, que auxilia na redução do colesterol; Ação antiglicante. Ação Antiglicante: Os derivados de cafeiol (ácidos cafeicos e clorogênicos), presentes na Pholianegra, são os principais responsáveis por inibir a produção de AGEs (Advanced Glyncation End Products), que são os produtos finais da glicação do metabolismo da glicose e mediadores patogênicos das complicações diabéticas. Os AGEs são capazes de modificar irreversivelmente as propriedades de diversas estruturas biológicas. 

Picolinato de Cromo: O Cromo é um mineral essencial ao organismo. Os processos de refino industrial dos alimentos refinam o cromo, sendo recomendada sua suplementação. Além de ser usado no tratamento de obesidade, diabetes, colesterol e envelhecimento, o Cromo é recomendado para praticantes de exercícios físicos. As principais fontes deste são: oleaginosas, aspargos, cogumelos, ameixa, cereais integrais, carnes, vísceras, leguminosas e vegetais. O Picolinato de Cromo é uma forma orgânica e completamente biodisponível de Cromo. O Cromo encontra-se distribuído principalmente nos cabelos, baço e rins. O coração, pulmão, pâncreas e cérebro também contêm Cromo, mas em concentrações menores. O Cromo ativa várias enzimas envolvidas no metabolismo da glicose e síntese de proteínas, principalmente a insulina. De fato, o Cromo é um mineral que participa da biossíntese, desse hormônio, participando também do seu aproveitamento pelas células durante o transporte da glicose. Vários estudos documentam a utilização do Cromo em diversos distúrbios, endógenos, incluindo distúrbios do colesterol, glicose, diabetes, obesidade e envelhecimento. Da mesma forma, o Picolinato de Cromo é um suplemento alimentar seguro e eficaz, o que é demonstrado por inúmeros trabalhos em revistas indexadas.